Tags


Inaugurando os posts com dicas para mochileiros, vou listar abaixo informações bastante objetivas de lugares bons e baratos que encontrei ou que ouvi referências de holandeses ou pessoas que moram na cidade há bastante tempo.

Como chegar

Do aeroporto internacional Schipol para o centro (Centraal Station), a melhor coisa a fazer é comprar um passe de trem que leva 20 minutos até a estação central de Amsterdam, de onde saem todas as linhas de metrô e vários ônibus e trams (bondes). Se você for ficar no centro, nem precisará de transporte. Valor do ticket: 4,20 euros (viagem única)

Se chegar de ônibus vindo de outra cidade com a Eurolines, que é a empresa mais famosa da Europa, você vai descer bem perto da estação de metrô Amstel. Valor do ticket: veja abaixo as opções para o metrô

De carro, procure um estacionamento e delicie-se com o preço de no mínimo 5 euros por hora para estacionar o veículo. Amsterdã não foi feita para carros.

Como se locomover

Pra quem vai ficar pouco tempo na cidade e só vai conhecer os pontos turísticos centrais, a melhor opção é fazer tudo a pé ou de bicicleta. A cidade é bem pequena. Com relação à bicicleta, depende do tempo de permanência na cidade.

Um dos estacionamentos de bicicletas da cidade

Na Spuistraat, 84, (perto da estação central) tem a bicicletaria do português Victor. Ele costuma vender e comprar as bicicletas.

Ou seja, se você for ficar uns 10 dias, não compensa pagar os 5 euros diários que ele cobra pelo aluguel. Vale mais a pena comprar uma bicicleta usada (80 +-) e revendê-la depois por uns 60 ou 50 euros para o próprio Victor. Negocie.

Quem pretende descortinar os arredores de Amsterdam (vale a pena ver a arquitetura moderna que não existe no centro), o melhor é comprar um dos passes da GVB, que é a empresa que opera o metrô, ônibus e bonde na cidade. Valor do ticket com viagens ilimitadas dentro do período de validade: 24h (7 euros), 48h (11,50), 72h (15.50) e 96h (19.50)

Onde comer

Vou dar três dicas de onde comer barato.

Supermercado Albert Heijn

É como se fosse um mercadinho express. Há vários espalhados pela cidade. Eles têm lanches, pratos prontos de salada, salada de macarrão e alguns outros pratos que podem ser esquentados no micro-ondas. Vendem também sucos naturais engarrafados que são muito bons. Com algo entre 5 a 7 euros dá para matar a fome tranquilamente.

No Maoz Falafel você vai conseguir comer comida vegetariana a partir de 3,50 euros. Dependendo do combo, você ganha o direito de comer até quanto conseguir no self-service de saladas. Existem vários espalhados pela cidade.

O restaurante aceita cozinheiros voluntários

Einde van de Wereld, que em português significa “Fim do Mundo” é um bar e restaurante com uma proposta muito bacana, eles servem comida biológica por 8 euros e comida vegetariana por 7 euros. Ele não é muito frequentado por turistas. É preciso entrar no site (use o google translator) e verificar quais dias da semana eles vão funcionar. Ouvi referências muito boas sobre este lugar, que é bastante holandês. http://www.eindevandewereld.nl/

O que fazer

Não vou citar nenhum museu, coffee shop, parque, igreja ou coisa do tipo. Essas coisas vocês descobrem facilmente na cidade. Abaixo, seguem locais alternativos e com entrada gratuita ou bem barata.

St. Nicholas boat trip

A organização sem fins lucrativos St. Nicholas (este é o santo da cidade) promove há 14 anos um passeio fantástico pelos canais de Amsterdã em um pequeno barco para até 12 pessoas que data de 1926. Eu fiz esse passeio, que dura em média 1,5h. É realmente muito bacana, vale a pena. Enquanto os passeios de barco das empresas privadas custam de 10 a 30 euros, neste você dá quanto quiser e se tiver no final da trip. No verão, eles costumam fazer o passeio todos os dias. Nas outras estações, depende do tempo. É importante se inscrever para o concorrido passeio, no bar Boom Chicago, que fica na Leidseplein, 12.

Brownerij

No tour, é possível ver todos os processos de fabricação

Muita gente que vem a Amsterdã acaba indo conhecer o processo de fabricação da Heineken e gasta uns 15 euros pelo tour. Que tal conhecer uma cervejaria artesanal holandesa de graça?

Às sextas e aos domingos, às 16h, a Brouwerij ‘t IJ oferece o tour de graça. Durante a semana, custa 3 euros por pessoa. A degustação da cerveja sai por 1,9 euro. Eles têm versão em inglês do site: http://www.brouwerijhetij.nl

OT 301

Local reúne juventude alternativa da cidade

Overtoom 301 foi por muito tempo um squat, ou seja, um prédio ocupado por pessoas (geralmente artistas) que não tinham onde morar. Agora, o prédio todo é utilizado como um centro cultural multi-media.

Cheque a programação no site, mas as atividades variam de aulas de defesa pessoal, passando pela noite da Itália com filmes, música e comidas típicas e chegando a festas que varam a madrugada. Os preços de entrada giram em torno de 5 a 12 euros, dependendo do evento. Há algumas coisas de graça também, depende do horário e da programação. O local é bastante frequentado por holandeses universitários. http://ot301.nl

Onde dormir

Um pouco difícil falar sobre isso, pois estou ficando na casa de holandeses. Mas revisitei o hostel que eu havia ficado em 2007, o Bob´s Hostel, e ele continua do mesmo jeito. É um hostel para gringos que estão a fim de se divertir na cidade. O preço tá meio salgado, na minha opinião, 25 euros. Mas é Amsterdã, né? No verão, é assim mesmo. www.bobsyouthhostel.nl

Procure hostels no www.hostelworld.com ou surfe no sofá de alguém com a ajuda do Couch Surfing.

Comunicação

Se você pretende ficar algum tempo em Amsterdã, é melhor comprar um chip de celular, porque a cidade é bastante desprovida de telefones públicos. No centro, eu só consegui achar dois e depois de muita busca.

A dica é comprar o chip da operadora Lyca que vende no aeroporto por 5 euros, que vem com 10 euros de crédito. No centro da cidade, você vai pagar 10 euros com 7,5 euros de crédito.

Anúncios