Tags


O que vocês veem na foto ao lado é a construção de dois novos cômodos de uma casa de verão no interior da Suécia, mais precisamente em uma cidade chamada Norsesund, que fica a cerca de 40 quilômetros de Gotemburgo, no extremo oeste do país, onde segundo meus planos eu deveria ter chegado sem escalas.

Mas como esta viagem muda mais do que eu mudo de roupa, eu acabei ficando dois dias neste tranquilo vilarejo de 2 mil habitantes.

Oskar, meu amigo sueco, e sua família estão ampliando a casa desde o verão (inverno no Brasil) passado. Neste ano, continuam os trabalhos, que só devem terminar no próximo verão.  O motivo de eles apenas trabalharem no verão é porque não é muito divertido pregar tábuas de madeira com uma temperatura de até -20 graus Celcius no inverno.

Em suma, eles estão criando aquilo que será uma cozinha e uma ampla e confortável sala de estar, com espaço para mesa de jantar, lareira e adega de vinhos. A casa fica a 5 minutos andando de um lago muito bonito que pode ser usado para nadar, pescar, passear de barco, etc.

O mais interessante é que estão fazendo tudo por conta e sem pressa, sem compromisso. O casal, Stephan e Maud, e os dois filhos, Oskar e Mikael, estão levando adiante o que eles chamam de “O projeto da família”. Os filhos são engenheiros civis e desenharam o projeto, com ajuda de uma amiga arquiteta. O pai, como ele mesmo diz, é marceneiro amador. A mãe atua na retaguarda, cozinhando e cuidando da limpeza do local e do cultivo das plantas.

Os trabalhos começam por volta das 10h, depois do reforçado (muito reforçado) café da manhã, com direito a pasta de caviar, frutas, diferentes tipos de pães, queijo, suco, café, bolachas e chocolate. Por volta do meio dia, eles param para um cafezinho dentro do trailer que serve como cozinha e despensa. Às 15h, sai o almoço, sempre fresco e com direito a salada plantada na horta da casa. Como no verão o dia só acaba por volta das 11h da noite, o jantar marca o fim do expediente e acaba acontecendo mais ou menos às 20h, quando eles sentam à mesa e ficam discutindo o projeto e os afazeres do próximo dia.

Para minha sorte, além de ter experimentado estar entre uma família sueca, eles me ofereceram a casa de barro e palha como dormitório.

Foi a primeira cama que dormi desde que a viagem começou. Veio em hora certa. Meu corpo estava começando a reclamar dos sofás. Acordar com o som dos pássaros, dos cavalos e das ovelhas foi memorável.

No dia que estava indo embora, eles terminaram a construção da estrutura do telhado. Na Suécia, quando isso acontece, eles comemoram com uma pequena festa e convidam os vizinhos do vilarejo. É a “festa do telhado”. No vídeo abaixo, vocês podem acompanhar o momento do brinde.

PS: Este post foi especialmente escrito para o meu pai que, com toda certeza do mundo, adoraria ajudar estes suecos a construir esta casa.

 

Anúncios